Rio Grande do Norte

9º Fórum de Inclusão Social discute capacitações em municípios do Alto Oeste

A Secretaria de Estado da Administração (Sead), por meio da Escola de Governo (EGRN), promoveu nesta terça-feira (14) o 9º Fórum de Inclusão Social – edição Água Nova, Luís Gomes, Olho d’água do Borges, Paraná, Portalegre, Rafael Fernandes, Riacho de Santana e Umarizal. O evento realizado virtualmente teve 563 inscritos interessados em discutir políticas públicas e propostas de ações inclusivas com foco na capacitação para a região do Alto Oeste.

Representando a governadora Fátima Bezerra e a secretária da Administração, Virgínia Ferreira, o subsecretário de Recursos Humanos da Sead, Ediran Teixeira, e o diretor-geral da EGRN, João Emanuel Evangelista, falaram sobre a importância da atividade durante a cerimônia de abertura. “Esse fórum envolve um esforço intermunicipal. É uma oportunidade muito importante para nós que estamos conduzindo o RN Inclusivo para ouvir as comunidades, seus gestores e seus servidores, a fim de que possamos ter um levantamento das demandas de capacitação, para então atuarmos em cada município”, explicou o diretor.

Os prefeitos dos municípios abrangidos no 9º Fórum de Inclusão Social prestigiaram o evento, destacando a importância da parceria entre os poderes em prol da melhoria da prestação de serviços públicos, da consolidação da cidadania e do desenvolvimento local da região. “É um instrumento importante demais para formação dos nossos servidores estaduais e municipais“, disse o prefeito de Riacho de Santana, Davi Cássio Fernandes.

“Esse evento representa muito para o interior do Rio Grande do Norte. Estamos de mãos dadas com o Governo para fazer o melhor pela nossa população. É uma chance que muitos têm para se capacitar e cada vez mais atender melhor as pessoas”, declarou o prefeito de Água Nova, Francisco Ronaldo de Souza.

O prefeito de Luis Gomes, Carlos Augusto de Paiva, o “Tututa”, reiterou dizendo que “a melhoria da qualidade de atendimento e mão de obra qualificada é vital para o sucesso das instituições que formam a cadeia indispensável para o bem-estar social e qualidade de vida do nosso povo”.

“Fico muito feliz em saber que a nossa população agora conta com o RN Inclusivo, pois sabemos o quão importante é promover a melhoria da gestão pública e a qualificação profissional da população. Isso contribui com o desenvolvimento socioeconômico do nosso município”, pontuou o prefeito de Portalegre, José Augusto de Freitas Rêgo.

Prefeito do município de Rafael Fernandes, Bruno Anastácio frisou que, além de agentes públicos, o Plano RN Inclusivo simboliza uma oportunidade para que pessoas da iniciativa privada e pequenos produtores, que sofreram bastante os impactos da pandemia de covid, também possam buscar cursos, ajudando-os a se reinventar e desenvolver a região. “Eu vejo que esse trabalho de inclusão pelo trabalho de profissionalização, de capacitação, pode fazer toda a diferença para isso”.

Também marcaram presença na solenidade a prefeita de Olho d’água do Borges, Maria Helena Queiroga; o prefeito de Umarizal, Raimundo “Pezão” Nonato Dias Pinheiro; o assessor de comunicação do município de Paraná, Kellison Rocha, representando a prefeita Josiene Gomes; a diretora do Departamento de Capacitação da Escola de Governo, Rejane Oliveira; e a assessora técnica e coordenadora do Plano RN Inclusivo, Lúcia Pessoa. A mediação foi realizada pela professora voluntária Giovana Paiva.

Programação

O 9º Fórum de Inclusão Social foi transmitido via canal do Youtube da Sead e também por sistemas de videoconferência. Na abertura, foram exibidos vídeos institucionais de cada município abrangido, destacando as potencialidades locais. Outro momento da programação foi referente ao webinário “Objetivos do RN Inclusivo: Cidadania Ativa e Desenvolvimento Local”, ministrado pelo diretor da Escola de Governo, João Emanuel Evangelista.

O professor discorreu sobre os conceitos basilares do Plano RN Inclusivo, destacando que a junção da cidadania ativa e do desenvolvimento local é a grande responsável por suscitar as mudanças positivas nos territórios. Também contextualizou a situação do Brasil, explicando como o país de dimensões continentais engloba situações tão desiguais.

Após a palestra, os participantes foram divididos em grupos focais, momento em que puderam interagir uns com os outros e apontar demandas e propor sugestões quanto a capacitações necessárias aos municípios. A Escola de Governo vai sistematizar todas as proposições apresentadas para, posteriormente, submeter as propostas de capacitação.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo